TRADUZINDO

Uma Dobra no Tempo

(Estou recuperando textos que publiquei fora daqui. Este eu soltei no Facebook em 1/3/2018.)

Foi coincidência. Juro pra vocês que foi, pois juraram pra mim que foi.

A DarkSide veio primeiro: “Érico, conhece A Wrinkle in Time, clássico, sci-fi, infanto-juvenil, versão em quadrinhos, vai virar filme?” Sim, conhecia. “Que acha?” Claro que traduzo, obrigado.

Mal tinha começado as primeiras páginas e a HarperCollins Brasil me perguntou: “Conhece A Wrinkle in Time, clássico, sci-fi, infanto-juvenil, Madeleine L’Engle, vai virar filme?” Ahm. Conheço. “Que acha?” Claro que traduzo, obrigado.

Mas tive que ser sincero com as duas editoras: vou trabalhar nas traduções ao mesmo tempo e queria, dentro do possível, manter o texto bem similar. Até porque, nos quadrinhos, a Hope Larson (provavelmente por contrato) manteve cada palavra dos diálogos que pinçou na prosa da L’Engle.

Foi difícil, foi divertido, foi um teste para ver o que tradução de diálogo para prosa e tradução de diálogo para quadrinhos podem ter em comum, quando eu costumo me concentrar em descobrir o inverso.

Mas o grande barato é que, sim, foi coincidência eu traduzir o quadrinho baseado no livro e o livro que embasou o quadrinho. Ao mesmo tempo. Para editoras diferentes.

Também quis trabalhar na tradução do filme – Uma Dobra no Tempo, 29 de março nos cinemas! – só que não rolou.

Sigo traduzindo a finada Sra. L’Engle: Um Vento à Porta, segundo livro da pentalogia, saiu no mês passado e estou a poucos dias de terminar Um Planeta em seu Giro Veloz, terceiro volume da série. Em seguida começo os dois volumes que são inéditos no Brasil.

Se todos virarem quadrinhos – ainda não viraram – ó, conheço um tradutor que conhece bem a versão prosa.

(Desde que fiz a postagem, conclui a tradução da pentalogia e todos os livros foram publicados:

Uma Dobra no Tempo

Um Vento à Porta

Um Planeta em seu Giro Veloz

Muitas Águas

Um Tempo Aceitável

E a versão em quadrinhos de Uma Dobra no Tempo.)

Marcado como:
ESCREVENDO LENDO

Resenhas Ilustres e Fahrenheitianas

Há dois anos, fiz aqui uma lista das catorze resenhas que eu já tinha publicado na Ilustrada da Folha de S. Paulo de 2015 até então. Chamei de “Resenhas Ilustres”. De lá para cá, saíram mais vinte e duas. Acho que a pauta virou: várias foram sugestões minhas, algumas foram sugestões do jornal. Os títulos, porém, quase nunca são meus. Também comecei a colaborar com a 451, onde já publiquei mais três resenhas de HQ. É outra honra na carreira participar [ . . . ] LEIA MAIS

Carregando miniaturas...
Marcado como:
451
gus
jbc
una
LENDO

A Canção de Roland

(Estou recuperando textos que publiquei fora daqui. Este eu soltei no Facebook em 5/9/2019.) Comprei The Song of Roland, do Michel Rabagliati, há uns bons anos, quando o álbum ganhou um prêmio importante e o dólar deixava a gente prestar atenção em qualquer quadrinho com o prêmio que fosse. Segundo a notinha fiscal da Amazon, ele veio junto com Building Stories. Tenho mais quatro livrinhos do Rabagliati por aqui, mas sinceramente não lembro quais já li. Rabagliati faz quadrinhos autobiográficos, como [ . . . ] LEIA MAIS

Carregando miniaturas...
Marcado como:
TRADUZINDO

Hellblazer, Warren Ellis, 20 anos

Lembro de quando Warren Ellis foi anunciado roteirista de Hellblazer e escreveu um ensaio sobre Constantine. Era menos um texto sobre Constantine e sobre o que planejava para a série, mais um texto sobre Londres. Sobre andar por Londres, sobre o cheiro e a cor de cada bairro, sobre o cruzamento que tinha sido repartição pública do Império Romano, em que prédio onde Ellis usou drogas, assistiu um show ou ficou com uma menina. Sobre fantasmas. Tem cidade com mais fantasmas [ . . . ] LEIA MAIS

Carregando miniaturas...
Marcado como:
red
TRADUZINDO

Contabilidade, 2016

Sim, 2017 já mudou de estação, já mudou de trimestre, já estou atrasado na declaração do IR e ainda não fiz minha contabilidade tradutória de 2016. Mas preciso, para fins de: manter a tradição. Seguem números e alguns comentários rápidos sobre o que eu traduzi em 2016. Foram 42 projetos de tradução, 2 de revisão de tradução e mais um em que eu fui meio tradutor/meio revisor. 6,9 milhões de toques, 2 mil e poucas páginas de prosa e 5 mil e poucas páginas de HQ. De [ . . . ] LEIA MAIS

Carregando miniaturas...
Marcado como: