Arquivo de Tags

lançamentos curiosos



1 Real (Lançamento Curioso 7)

Um álbum quase sem palavras, voltado para crianças com um pouquinho de bagagem, de um autor espanhol inédito no Brasil? Mas é quase a definição de lançamento curioso. 1 Real pode ter a mão um pouco pesada na “mensagem”: Federico Delicado compara a vida de um menino que limpa parabrisas no semáforo com a de uma garotinha mimada que tem uma babá para cumprir todas suas vontades. Mas, como falei acima, é para um público juvenil e, dentro desse universo de “mensagens”, [ . . . ] LEIA MAIS


11/11/2014

Cânone Gráfico vol. 1 (Lançamento Curioso 6)

  Este não é só curioso: também é pesado. Com 456 páginas no formatão de álbum, é daqueles livros que também serve para fazer exercício (ou, como escrevi aqui, um tijolo). E olha que é só o primeiro volume. Cânone Gráfico é um dos projetões malucos do Russ Kick, editor e escritor dos EUA que eu conhecia principalmente da Disinformation – pra quem ele compilou livrões de teorias da conspiração. A ideia maluca de Cânone Gráfico é reunir o cânone literário (ocidental e parte do oriental) em quadrinhos. [ . . . ] LEIA MAIS


26/09/2014

Os Quatro Rios (Lançamento Curioso 5)

Quando Edmond Baudoin veio ao Brasil em 2011, para a Rio Comicon, muita gente ficou se perguntando quem era o senhorzinho francês. E realmente era estranho: com mais de 50 (cinquenta!) álbuns publicados na Europa, nenhum deles tinha saído por aqui. Baudoin veio e foi. Três anos depois, curiosamente, sai sua primeira publicação no Brasil. Os Quatro Rios talvez saia aqui mais pelo nome de Fred Vargas, romancista policial (também: arqueóloga) francesa que tem meia dúzia de livrinhos lançados no Brasil, [ . . . ] LEIA MAIS


23/09/2014

O Árabe do Futuro (Lançamento Curioso 4)

Riad Sattouf é um dos nomezinhos mágicos que surgiu nos quadrinhos franceses na última década. Colega de estúdio de Joann Sfar e Christophe Blain, também com um estilo cartunesco que fugia-ao-mas-virou-mainstream francês, ele teve alguns sucessos de público que acabaram virando sucesso de crítica – o Fauve d’Or de 2010 de Angoulême foi dele, pelo terceiro volume da série Pascal Brutal. L’Arab du Futur saiu em maio na França e anda bastante comentado por lá. É autobiográfica. Apesar de ter [ . . . ] LEIA MAIS


17/09/2014

O Dia Em Que Troquei Meu Pai Por Dois Peixinhos Dourados (Lançamento Curioso 3)

Outro que não é exatamente HQ, mas que tem tudo a ver com HQ. O Dia em que Troquei meu Pai por Dois Peixinhos Dourados foi o primeiro infantil de Neil Gaiman. Ele e McKean publicaram o livro em 1997, pouco depois de terminarem Sandman. Saiu por uma editora de RPGs, a White Wolf. Aí Gaiman foi escrever seus livros (Neverwhere, Stardust, Deuses Americanos, Filhos de Anansi), McKean foi fazer capas de CD (a capa original de Dois Peixinhos virou a de This Desert Life, do Counting [ . . . ] LEIA MAIS


16/09/2014