Arquivo de Tags

bastièn vives



Semana Empilhada 4 – 19 a 25/12

O Prêmio Jabuti segue errando que Quadrinho é Ilustração, e colocou seis HQs entre concorrentes na categoria: A Vida de Jonas, Magno Costa Lobisomem sem Barba, Wagner Willian Vida e Obra de Terêncio Horto, André Dahmer Yeshuah: Onde Tudo Está, Laudo Ferreira e Omar Viñole Filosofias Baratas me São as Mais Caras, Orlando Pedroso Claudius, Claudius Ceccon Na categoria Adaptação, concorrem A morte de Ivan Ilitch em Quadrinhos, de Caeto, Grande Sertão: Veredas, de Guazzelli e Rodrigo Rosa, e Kaputt, de Guazzelli. Rafael Coutinho e [ . . . ] LEIA MAIS


26/10/2015

Semana Empilhada 1 – 28/9 a 4/10

The Sandman Overture #6 saiu 23 meses depois da #1. À primeira leitura, é uma das HQs mais mccay-steranko-druilletianamente-lindas da história. Quanto à trama, me perdi faz tempo. (Resenhei o #1 quando saiu.) Mark Millar (Wanted, Kick-Ass, Kingsmen) vendeu mais uma HQ para o cinema  antes de a HQ em questão ser lançada. Chama-se Huck. É a primeira em que ele vai dividir os lucros com um brasileiro, Rafael Albuquerque. Albuquerque falou ao Omelete que o filme pode começar as filmagens na metade [ . . . ] LEIA MAIS


04/10/2015

Pessoas Que Disseram Coisas: Barry, Darrow, Kot, Gaiman, McCloud, Muñoz, Vaughan, Vivès

Tem gente que acha que quem vai escrever um conto tem que seguir estrutura de conto. É como achar que só temos dentes porque existe dentista. Lynda Barry e suas aulas de criatividade. Mas por que terminar Zero daquele jeito? A última edição foi um dos gibis mais bizarros e herméticos do mundo: tem fungo que conversa com gente, balas que saem de crânios e participação especial de William S. Burroughs. Não achei nada mais apropriado. Não quero ficar interpretando porque não existe [ . . . ] LEIA MAIS


31/07/2015

Le Petit Livre de la Bande Dessinée

Se fosse lançado no Brasil, Le Petit Livre de la Bande Dessinée seria chamado de O Pequeno Livro da Bande Dessinée. Traduzir para “da História em Quadrinhos” pode ser um engano, pois a história dos quadrinhos que o livro conta é a história do ponto de vista franco-belga. Bien sûr, é um álbum lançado no mercado franco-belga, produzido por autores franceses: Hervé Bourhis e Terreur Graphique. Entenda-se que não é só a história do quadrinho franco-belga, mas do ponto de vista franco-belga. E o invejável mercado [ . . . ] LEIA MAIS


16/03/2015